Campo de Sete Rios 1913 - 1917

Sem conseguir nenhum acordo financeiramente viável com o senhorio, o Benfica teve de sair do campo da Feiteira. Não tendo então qualquer terreno de jogo, o Benfica jogou durante dois anos em campos emprestados de outros clubes das redondezas: no campo das Laranjeiras, pertencente ao Internacional (CIF) e no campo da Palhavã, propriedade do SC Império.

Campo de Sete Rios
Campo de Sete Rios

Passado algum tempo, e sobretudo graças à acção de Cosme Damião, o Benfica conseguiu alugar uns terrenos em Sete-Rios. Este passou a ser o campo de jogos durante os anos seguintes. Era contudo preciso transformar o que então era um terreno agricula num campo de jogos. O Dinheiro escasseava mas o que não faltou foram voluntários para ajudar na construção das infra-estruturas.

No jogo de estreia do campo de Sete Rios, a contar para o Campeonato Regional de Lisboa, o Benfica venceu o seu rival Sporting por uns contundentes 4 – 0.

O Benfica esteve neste campo durante 4 anos, até em 1917 o senhorio quis impor novas regras, o que levou o Benfica a ter novamente de arranjar novas instalações. O último jogo do Benfica neste campo deu-se em 1917 contra o Vitória de Setúbal e o Benfica venceu por 3 – 2.


Estádios

1904 - 1905 

Terrenos do Desembargador

1907 - 1911 

Campo da Feiteira

1913 - 1917 

Campo de Sete Rios

1917 - 1923 

Campo de Benfica

1925 - 1940 

Estádio das Amoreiras

1941 - 1954 

Estádio do Campo Grande

1954 - 2003 

Estádio da Luz

2003 -   …   

Novo Estádio da Luz